sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Amei

Amei cada despedida e cada retorno teu
Cada abraço, cada beijo.
Cada palavra dita e sublimada pelo olhar.
Amei o tempo, o espaço,
Amei o nó, amei o laço,
Que me guardaram, nos braços teus.
Amei a flor, florida vida,
Amei a lágrima escondida,
Amei a saudade e o adeus.
Hoje eu alimento cada lembrança,
Que jaz no leito, que jaz no peito,
Sonho desfeito..
Como eu te amei!
Será que amei?
A dor é íngua, corta-me as vísceras,como um defeito...
Que não tem jeito
E que não finda...
Não, meu amor, eu não te amei!
Te amo... ainda!

2 comentários:

Mila disse...

O amor que é verdadeiro suporta a dor da ausência...
Belo poema!
Bjs
Mila

Fabi Goulart disse...

"Que você volte depressa
Que você não se despeça
Nunca mais do meu carinho
E chore, se arrependa
E pense muito
Que é melhor se sofrer junto
Que viver feliz sozinho"... Vinícius de Moraes...

Sou fã dele e agora acho q virei sua fã também...hehehe...